Lilypie - Kids Birthday

quinta-feira, 30 de abril de 2015

Estarei a privar de livre felicidade !?


        Em conversa com um jovem pai de dois filhos de um casal com 6 e 3 anos na qual dizia e o quanto eu compreendo que é difícil por vezes as tais birras que nos põe doidos, conta-me ele que ontem foram ao tanque, aos tais tanques que se usavam antigamente para lavar a roupa, para poder lavar uns acessórios do carro ali facilitava-lhe e os filhos andavam no muro do tanque a correr e  a saltar. Cenário este que para mim era motivo de entrar já em maluquice e dar aqueles gritinhos histéricos de mãe a dizer " ai que ele vai-me cair, sai já daí ,ai que ela ainda me cai dentro do tanque, vamos embora que ainda se vão magoar e eu não estou bem " isto é a minha forma de estar na vida .
         Ele diz-me que tinha dito á esposa para não ligar que ele quando tinha a idade deles fazia o mesmo e a tal senhora dito e feito não ligou, não aconteceu desgraça nenhuma daquelas que a minha cabeça pensa logo e foram felizes e livres pelo muro e as grades do tanque.
          Ainda me contou que quando vão ao cemitério o filho de 6 anos começa a correr em cima das campas e que a irmã de 3 vê e faz igual, eu ao ouvir esta parte imagino a minha cara de parva do género será que estou a ouvir bem e ainda penso que se fosse comigo levavam logo uma sapatada e nunca mais faziam isso que é comportamento complemente inadequado para mim mas o pai ainda me diz que lhe faz lembrar os tempos que ele fazia o mesmo (coisa que também eu nunca fiz até porque era impensável) e que o fazia rir ao lembrar e vê-los tão felizes da vida a correr por cima das campas do cemitério, ainda eu pensei que pudesse estar confundida quando ele volta a dizer isto e realmente estava mesmo a falar do cemitério .
          Com isto tudo deixou-me a pensar ,será que estou sempre a repreender os meus filhos e não os deixo livres para serem felizes a brincar? Será que não dou espaço para os meus filhos serem crianças ? Será que isto que eu penso do ser certo ou errado não deixo os meus filhos serem crianças com instintos próprios para fazerem o que os faz feliz ? Será que os meus filhos são verdadeiramente felizes quando não são livres porque estou sempre a dizer-lhe o que é bem ou mal? Será que estou agir mal, quando penso que estes pais não estão a fazer o certo ?

           Será que os filhos deste pai que têm a liberdade de serem livres para brincar mesmo  que não se enquadre no melhor procedimento, mas têm a liberdade de serem felizes na forma livre de brincar ,será que estas crianças é que são as verdadeiramente felizes e os meus filhos vivem no que deve ou  não deve ser correto.

14 comentários:

  1. Eu sou como tu, e acho que possivelmente esses meninos do dito pai liberal, são aqueles meninos insuportáveis que para mim levavam uma bela de umas 3 palmadas naqueles rabiosques que até andavam de lado!
    Pode ser-se livre mas há que saber respeitar os outros e saber viver em sociedade, senão isto era uma autêntica selva (o que por vezes até é com a falta de civismo que cada vez há mais)!
    Educar, deixando as crianças escolherem o seu caminho mas orientando sempre para o saber respeitar o próximo!
    isto na minha modesta opinião!!!
    e dentro da educação que tive nunca me senti presa!!!
    bjs e não fiques a pensar que os teu filhotes não são livres porque o são!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Estrela fico mais descansada pois penso exatamente como tu :)

      Eliminar
  2. As crianças podem e devem brincar. Mas é desrespeito correr por cima das campas.
    As crianças podem e devem brincar. Mas é falta de cuidado correr em muros de tanques.

    Não és tu que estás mal, a meu ver.
    A educação faz falta e não é impeditiva à felicidade. Há que ensinar a brincar.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  3. Eu sempre deixei em liberdade, embora controlada e vigiada os meus filhos. Não fui mãe se ver perigoscem todos os sítios, até porque, mesmo convosco os perigos acontecem. Quanto mais resguardados pior, pois que, quando não estão com os pais agem como se estivessem presos até aquele um momento.
    Deixemos as crianças criarem as suas defesas
    Kis:>}

    ResponderEliminar
  4. Eu no cemitério nunca andei a correr por cima das campas... mas andar a brincar no muro do tanque andei muitas vezes, mas era quando a minha mãe não via...
    Quanto a mim também não acho seguro fazer isso, mas prefiro que eles façam isso comigo ao pé para que possa intervir caso haja alguma coisa que corra mal...

    ResponderEliminar
  5. Acho que como em tudo na vida deve haver conta e medida. Acho que as crianças devem ter um tempo e espaço para poderem brincar livremente sem regras, sem restrições mas sob vigilância claro! Que mal faz um joelho esfolado de vez em quando? Quando eu era criança passava os dias na rua com os amigos, a brincar, a subir montes, a trepar árvores e sem ninguém a tomar conta! Sempre fui uma criança educada pois também sabia adequar o meu comportamento ao local e à situação. Era impensável por exemplo correr em cima de campas num cemitério!

    ResponderEliminar
  6. Podem e devem ter liberdade, mas há coisas que não se devem fazer.
    Deve dar-se liberdade e educar ao mesmo tempo. Não se pode é fazer uma coisa em detrimento da outra.

    http://adorosercomosou.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  7. Com a primeira questão concordo com o pai, deixava-os correr, vigiando-os. Com a segunda nem pensar, respeitinho é bonito e eu gosto. Seja para comigo, seja para com os outros.

    ResponderEliminar
  8. Acho que existem pais que devem achar que educar dá muito trabalho e por isso deixam os filhos fazer o que bem entendem só para não ter trabalho nem consumições... Lamentável...

    Bjxxx

    ResponderEliminar
  9. Não sou mãe mas acho que seria igual a ti, vejo-me a dizer esse "sai já daí que ainda cais."
    A meu ver estas a fazer a coisa acertada eu nunca brinquei por cima de campas nem em cima de muros e fui uma miúda feliz.
    Beijo.
    http://coisinhasdamiia.blogspot.pt/?m=1

    ResponderEliminar
  10. A minha filha tem 5 anos e eu deixo-a brincar praticamente à vontade. Anda em cima de muros, é livre de andar de bicicleta à volta de casa e, quando vou ao cemitério, ela corre e brinca com os primos (da mesma idade) à vontade, na praia, também correm e brincam à vontade. Eu vou vigiando, claro, mas sem lhes dar muita noção de que o estou a fazer. Raramente interrompo as brincadeiras deles para os chamar à atenção. Nenhum deles é mal-educado. Se os mandarem parar, param; pedem antes de fazer as coisas e não são desrespeitadores. Também não são perfeitos - fazem algumas birras e zangam-se uns com os outros, etc. Como a AvoGi, acredito que eles devem criar a suas próprias defesas. Nós não estamos sempre lá.

    ResponderEliminar
  11. É um bocado difícil gerir a liberdade de brincar das crianças, pois há brincadeiras que eles não medem o perigo e depois têm consequências negativas.
    Eu quando vou com os netos à piscina ou praia, não tiro os olhos deles.
    Essa das crianças no cemitério, não tem lógica nenhuma, mas aí é culpa dos pais.
    Educa os teus filhos com o que te diz o coração, o resultado só pode ser positivo
    Bjs
    Bom fim de semana

    ResponderEliminar
  12. Os meus filhos jamais fariam isso que esses miudos fizeram não acho correcto logo não os deixava fazer!! No tanque como tu dava me logo tb um ataque de pânico e no cemitério era uma situação que não deixava mesmo não havia hipóteses. Devemos dar liberdade para brincar mas dentro do que é na minha opinião aceitável e acho que esse pai é muito libertador até demais!!

    ResponderEliminar
  13. Na minha opinião devemos deixá-los livres para brincar sim, embora supervisionando, mas deixá-los desrespeitar os outros correndo em cima das campas, isso não, temos de lhes transmitir valores e ensinar-lhes até onde podem ir.

    ResponderEliminar

Obrigada pelo vosso comentario,bjinhos